OUTRO LADO DE UMA MULHER




Peguei meu marido se masturbando em frente ao computador, olhando uma página de pornografia.
 Sei que, mesmo tendo uma relação estável, os homens se masturbam. Mas fiquei arrasada.
Olhei o histórico no computador e vi que ele havia consultado muitas páginas. Pensei na história da nossa vida sexual e me dei conta de que ele é totalmente viciado. Entrei em sites americanos de apoio a viciados em pornografia e isso tem me ajudado.
O mais difícil é voltar a ter confiança nele, pois me senti traída e a minha autoestima despencou. Ele diz que está “limpo” há três meses. Só que agora  despe as mulheres na rua com o olhar. Parece que é uma síndrome de abstinência. Como lidar com isso tudo? Como ajudá-lo? Por favor, me dê uma luz.
A expressão “peguei meu marido” . Você o pegou como quem pega um ladrão e põe na cadeia, prende e incrimina. Masturbação não é crime e você só ficou arrasada porque para você existe um gozo em ficar assim.
Com que direito você olhou o histórico do seu marido no computador? Acha que ele não tem direito a uma vida sexual imaginária secreta? Todos vivemos divididos entre o que revelamos e o que vivemos secretamente, , . Trata da impossibilidade de fundar a identidade subjetiva na identidade sexual  e mostra que, além da identidade oficial, nós temos uma identidade sexual secreta. Vale a pena assistir este monólogo dirigido por Bete Coelho. Nele, Ricardo Bittencourt está impressionante. Sua interpretação tão forte quanto delicada nos leva a refletir sobre uma das grandes questões da modernidade e incita a superar o preconceito em relação a nós mesmos e aos outros.
Agora, pode ser que o seu marido seja viciado em pornografia e, nesse caso, como qualquer viciado, ele precisa ser ajudado. Mas enquanto você se sentir traída, exigir fidelidade real e imaginária, não poderá ajudá-lo. Não enquanto não aceitar a liberdade do seu marido e a sua.
A fidelidade absoluta é um ideal que raramente se cumpre e isso é decorrente da nossa disposição para imaginar. Uma disposição que  explica o caráter errático do desejo, que passa de um objeto para o outro e pode nos impedir de cumprir as nossas juras de amor.

Quem deseja viver no contexto do casamento tem que ser realista e  consentir na fantasia do outro. Dar ao outro um espaço de liberdade.


Fernanda  pensava  que sua vida estava triste ,sua rotina diaria era  cuidar do marido e da casa 
Dona de um corpo lindo de dar inveja ,seus amigos  e vizinhos elogiavam ela sempre 
usava roupas discretas /mas sua beleza era sem duvida nunhuma  maravilhosa um dia
Seu marido muito religioso ,a olhou e disse
- VOCÊ  mais parece uma vagabunda  com esse geito
Isso a machucou   fernanda  profundamente  
Deichando a chorando por muito dias
Certo dia acordei fiz tudo que fazia e  sai
Voltei a noite  ele me
 olhou e  e falei  é meu amor

fiz o que vc me mandou, me vesti como uma
puta, e fui a um barzinho que estava cheio de homens, entao fiquei com
medo, mas o prazer de estar fazendo isso por vc era tao grande que
permaneci la, esta frio aqui, entao em coloquei um vestido preto muito
curto e decotado, mas com um sobretudo por cima, eu estava tao excitada
comigo mesma, entao veio ate mim um homem de meia idade, e perguntou se eu
queria que ele pagasse a bebida, deixei ele pagar, e ele perguntou o que eu
estava fazendo naquele lugar, com aquele rostinho de menina, eu disse a ele
que eu estava procurando dois homens pq minha vontade de chupar era muito
grande, ele ficou assustado, mas adorou a ideia, deu pra ver na hora que
ele ficou excitado, ele me disse que ia realizar minha vontade, se levantou
comigo e fomos em busca de um garoto de programa, pq ele disse que ele
queria ver minha boquinha em ação, entao, paramos um garoto na rua, ele
subiu no carro, ele queria me levar pro motel eu disse que não, que eu
apenas queria chupa-los, fiz isso no carro, enquanto eu chupava um , o
outro me chupava, eu fiquei tao excitada com o medo, mas nao gozei pq quero
fazer isso com vc, nao tentaram nada mais eles gozaram na minha boca e eu
nao deixei que o homem me deixa-se em casa, ele queria me pagar, eu me
senti baixa, mas estava cumprindo minha obrigação de puta, acabei de chegar
com o gosto do
esperma deles na boca,eu vou te chupar agora , pra terminar minha minha função de puta  e vagabuna

meu papel só vai terminar quando você me pagar
pelo que eu farei
ele me olhou  admirado :
e seu pau deu volume entre as calças
vi que aceitou então
agarrei me naquele pau que conhecia tão bem 
e chupei com vontade
ele gostou tanto que me mandou trair ele novamente
E ssa experiencia continuou com uma grande virada
eu fazia sexo e ganhava por ele ainda ganho  é claro
A te meu marido me paga imagina ? verdade
Bom fazer algo que nos leva a ser completa tambem
é com certeza  o melhor caminho 


          
            conto mandado para doutoram
              

               continue  mandando
beijossss 


       doutoram

 
Support : Copyright © 2015. Mi Puntofinal - All Rights Reserved